Dificuldades de aprendizagem: a lateralidade cruzada

Contents
  1. Como a lateralidade cruzada afeta o desempenho
  2. Tipos de lateralidade
  3. Como a lateralidade cruzada afeta o desempenho escolar?
  4. Mais sobre como a lateralidade cruzada afeta o desempenho
  5. O que podemos fazer se uma criança apresentar lateralidade cruzada?
  6. LATERALIDADE CRUZADA
  7. É importante que os pais estejam sempre atentos ao desenvolvimento do filho. Isso torna o diagnóstico de qualquer alteração mais rápido e com mais chance de um tratamento de sucesso
  8. Cabe dizer que dentre os profissionais qualificados para o diagnóstico estão “médicos neurologista e oftalmologista, pedagogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta”, explica a terapeuta ocupacional
  9. Porém, “há crianças que a lateralidade cruzada não causará nenhum prejuízo! Entretanto, é comum que as crianças apresentem: alto índice de fadiga; quedas frequentes; coordenação insuficiente; atenção instável; dificuldade com a linguagem; dificuldades de automatização de leitura, de escrita ou de cálculo; dificuldade para organizar adequadamente o espaço e o tempo; confusões com direita-esquerda, o que, consequentemente, dificulta a compreensão de dezena e centena; confusão ente a soma e a subtração ou entre a multiplicação e a divisão; desmotivação em algumas atividades; pode apresentar disgrafia, dislexia, discalculia e tende a expressar o contrário do que pensa; escrever letras e números invertidos. Frequentemente, apresentam mais facilidade com explicações verbais e cálculos mentais do que com tarefas e cálculos escritos”, destaca Bárbara
  10. Quanto mais jovem o cérebro menos conexões sólidas ele tem, por isso, quanto mais cedo oferecemos intervenções adequadas, com mais precisão conseguimos respostas eficazes”

Como a lateralidade cruzada afeta o desempenho

Dificuldades de aprendizagem: a lateralidade cruzada

Quando nascemos e vamos nos desenvolvendo, todos mostramos uma preferência ou tendência para usar um lado do corpo. Isso é chamado de lateralidade. A seguir, vamos ver como a lateralidade cruzada afeta o desempenho. Nesse sentido, a área do corpo que dominamos melhor pode ser influenciada por diversos fatores, tanto genéticos quanto ambientais.

O desenvolvimento da lateralidade ocorre aos poucos ao longo dos primeiros anos de vida, quando ainda não temos consciência de qual é o lado direito e qual é o esquerdo.

Tipos de lateralidade

Podemos classificar a lateralidade da seguinte forma:

  • Lateralidade homogênea. Ocorre quando olho, ouvido, mão e pé têm a mesma dominância, seja ela esquerda (canhoto) ou direita (destro), sendo esta última a que ocorre com maior frequência.
  • Lateralidade mista. Ocorre quando algumas pessoas fazem certas coisas com um lado do corpo e outras com o outro lado.
  • Lateralidade cruzada. Também pode ser chamada de contrariada e é caracterizada por uma lateralidade diferente para mãos, pés, olhos e ouvidos. Por exemplo, domina mais a mão direita e o olho esquerdo. Esse tipo de lateralidade pode causar dificuldadesde aprendizagem, principalmente para aprender a ler e escrever. Ocorre com frequência em crianças diagnosticadas com TDAH.
  • Lateralidade ambidestra. Ocorre quando a pessoa usa ambos os lados do corpo com a mesma habilidade e de forma intercambiável.

É muito importante não forçar a lateralidade. Temos que deixar que ela se defina por conta própria. Se uma criança for forçada a usar um determinado lado e este não for o dominante, estaremos causando uma desorganização em seu sistema nervoso.

Como a lateralidade cruzada afeta o desempenho escolar?

A lateralidade mal estabelecida pode causar muitos problemas de aprendizagem nas crianças e costuma aparecer nos casos em que a criança tem problemas de dislexia. Isso pode ser observado principalmente no início do ensino fundamental, principalmente nos casos em que a lateralidade ainda não está estabelecida.

A seguir, vamos ver como ela influencia e quais são os sintomas da lateralidade cruzada:

  • As crianças têm reações mais lentas e com poucos reflexos imediatos diante de certas atividades.
  • Essa lateralidade pode causar problemas de dislexia, discalculia, dislalia ou disgrafia.
  • Quando escrevem, as crianças podem fazer inversões na ordem gráfica e leitora. Os números e letras são escritos invertidos, como se estivessem refletidos em um espelho.
  • Costuma afetar a autoestima, que geralmente já é baixa. Principalmente quando as crianças percebem seus erros.
  • Elas podem ficar irritadas, ter reações exageradas e se mostrarem inibidas e sem esperança.

Mais sobre como a lateralidade cruzada afeta o desempenho

  • Ao ler, as crianças leem muito lentamente e com muitas pausas. Falta ritmo e  elas costumam se perder.
  • Têm dificuldade para automatizar a leitura, o cálculo ou a escrita.
  • Mostram problemas para prestar atenção. Costumam se confundir com frequência.
  • Às vezes, podem ficar inquietas e hiperativas, apresentando dificuldade de concentração.
  • Ficam desmotivadas durante as aulas e não têm nenhum interesse nas atividades propostas.
  • Geralmente, essas crianças têm problemas para se organizar no espaço e no tempo. Confundem a direita com a esquerda e cometem erros na adição e subtração.

O que podemos fazer se uma criança apresentar lateralidade cruzada?

A maioria dos especialistas recomenda uma intervenção precoce para prevenir os efeitos negativos que ela pode ter para a aprendizagem da criança. Se suspeitarmos que existe uma lateralidade cruzada, devemos levar a criança para uma avaliação psicomotora adequada.

Quando os profissionais descobrem qual tipo de lateralidade a criança possui, eles estabelecem uma série de atividades e exercícios a serem executados para corrigi-la e redirecioná-la a fim de que haja uma boa tendência neurobiológica.

É importante levar a criança a um profissional caso haja a suspeita de que ela possa ter esse tipo de lateralidade cruzada. Você já viu como a lateralidade cruzada afeta o desempenho e a aprendizagem das crianças. Portanto, é importante intervir o mais rápido possível para evitar essas dificuldades futuras.

Pode interessar a você…

Источник: https://soumamae.com.br/como-lateralidade-cruzada-afeta-desempenho/

LATERALIDADE CRUZADA

Dificuldades de aprendizagem: a lateralidade cruzada

Qual papai ou mamãe nunca fez a pergunta: meu filho é destro ou canhoto? A partir do momento em que a criança pega em um lápis, os pais já começam a observar.

Infelizmente, a nossa sociedade coloca algumas “normas” que não existem! É muito comum ouvir os pais falarem para os filhos: a caneta você pega com a mão direita, o relógio fica no braço esquerdo, a colher se usa com a mão direita e tantos outros comandos. Mas, será que existe um lado certo e um errado? Pode-se escolher ser destro ou canhoto?

Para entendermos melhor sobre assunto, ainda pouco conhecido pelos pais, conversei com a terapeuta ocupacional Bárbara Moura (Belo Horizonte, MG), que explicou tudo sobre a LATERALIDADE CRUZADA!

Mas, afinal, o que vem a ser essa questão? Bárbara afirma que “a lateralidade é a capacidade desenvolvida pelo cérebro de utilizar preferencialmente mais um lado do corpo, de forma mais habilidosa, incluindo mão, perna, olho e ouvido. Denomina-se lateralidade cruzada quando há uma discordância na utilização desse lado, como escrever com a mão direita e chutar com o pé esquerdo, ou, às vezes, indefinida, escrever com as duas mãos”.

É possível perceber a lateralidade, segundo Bárbara, “por volta dos seis a sete anos, entretanto observa-se que a partir dos quatro anos a criança já demonstra com clareza seu lado de preferência, pois nessa fase ela realiza atividades que exigem habilidades motoras finas como recortar, colar, desenhar, e habilidades motoras grossas como chutar bola e pular de um pé só”.

Apesar de não ser uma doença, “a lateralidade é uma função neurológica.

Os comandos cerebrais funcionam de forma cruzada, ou seja, o hemisfério esquerdo do cérebro controla o lado direito do corpo, enquanto que o hemisfério direito controla o lado esquerdo, por isso é de extrema importância que haja uma especialização hemisférica das funções para termos melhor eficácia dos processos cerebrais”, ressalta Bárbara.

Vale dizer também que “os hemisférios cerebrais diferenciam entre si, pois cada um está preparado para realizar funções precisas de fala, escrita, cognição, pensamento, percepção espacial; e esses hemisférios precisam de harmonia e sincronia para garantir a integração bilateral do corpo de forma eficiente”, destaca a terapeuta ocupacional.

Mas por que uma criança tem lateralidade cruzada? Segundo Bárbara, “as causas estão associadas a fatores genéticos! Frequentemente, crianças que apresentam algum tipo de transtornos de aprendizado como dislexia, discalculia, TDAH, dentre outros, também apresentam lateralidade cruzada”.

É importante que os pais estejam sempre atentos ao desenvolvimento do filho. Isso torna o diagnóstico de qualquer alteração mais rápido e com mais chance de um tratamento de sucesso

No caso da lateralidade cruzada, Bárbara afirma que “o diagnóstico normalmente é dado por volta dos cinco a sete anos! Nessa idade, já se espera que a criança possua habilidades de funções motoras finas, como escrita, recorte, desenho e brincadeiras que envolvem todo o corpo, com isso percebe-se que a criança apresenta lateralidade cruzada.

A escola e os familiares devem ficar atentos e observar se a lateralidade cruzada é apenas um fato isolado ou se há outros aspectos do desenvolvimento e aprendizagem que devam ser melhores avaliados.

Caso haja um comprometimento mais relevante, sugere-se que a escola encaminhe para um profissional habilitado em avaliar e intervir, o mais cedo possível”.

Cabe dizer que dentre os profissionais qualificados para o diagnóstico estão “médicos neurologista e oftalmologista, pedagogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta”, explica a terapeuta ocupacional

Um fator muito importante, que preocupa muito os pais é a relação entre a lateralidade cruzada e outras dificuldades apresentadas pela criança.

Segundo Bárbara, “sabe-se que há uma relação entre a cognição e a motricidade, ou seja, com o que a criança é capaz de aprender e sua capacidade para realizar.

Mediante isso, podemos concluir que a lateralidade é um ato psicomotor, o mesmo envolve cognição e motricidade, então, a lateralidade de forma cruzada pode remeter a alguma dificuldade no processo de aprendizagem”.

Porém, “há crianças que a lateralidade cruzada não causará nenhum prejuízo! Entretanto, é comum que as crianças apresentem: alto índice de fadiga; quedas frequentes; coordenação insuficiente; atenção instável; dificuldade com a linguagem; dificuldades de automatização de leitura, de escrita ou de cálculo; dificuldade para organizar adequadamente o espaço e o tempo; confusões com direita-esquerda, o que, consequentemente, dificulta a compreensão de dezena e centena; confusão ente a soma e a subtração ou entre a multiplicação e a divisão; desmotivação em algumas atividades; pode apresentar disgrafia, dislexia, discalculia e tende a expressar o contrário do que pensa; escrever letras e números invertidos. Frequentemente, apresentam mais facilidade com explicações verbais e cálculos mentais do que com tarefas e cálculos escritos”, destaca Bárbara

TRATAMENTO

Os pais devem saber que existe sim tratamento para a lateralidade cruzada. A terapeuta ocupacional explica que “a criança precisa de intervenções que envolvam cognição e motricidade, ou seja, atividades de psicomotricidade e integração sensorial.

Psicomotricidade pode ser realizado por profissionais habilitados, como educadores físicos, fisioterapeutas, psicopedagogos e terapeutas ocupacionais. Já a integração sensorial, somente por terapeutas ocupacionais.

Essa criança necessita de tarefas que estimulem sua percepção corporal, o funcionamento do seu corpo e a integração bilateral, por meio de atividades que envolvam o corpo, a coordenação motora grossa e fina, rastreamento visual, bimanualidade, vendar um dos olhos, tampar um dos ouvidos, dentre outras”.

IMPORTANTE

“Nunca devemos forçar a criança a utilizar um dos lados! Os objetos devem ser sempre oferecidos no centro, para que ela escolha qual membro utilizar.

Entretanto, a partir dos cinco anos, podemos observar qual membro a criança utiliza com melhor habilidade e, com isso, podemos ajudá-la a perceber, para que ela utilize os objetos e o seu membro com melhor destreza e precisão, evitando dessa forma fadigas e dificuldades”, destaca Bárbara.

CURA

O que mais se pergunta é: mas tem cura? Bárbara explica que “quando falamos de processos cerebrais, é delicado em falar de cura! Mas há tratamentos que irão auxiliar a criança a desenvolver seus processos mentais da melhor maneira possível.

Pois, quando observa alguma desorganização cerebral, como é o caso de transtornos de aprendizagem, lateralidade cruzada e outros, os terapeutas não acessam o cérebro de forma direta, mas auxiliam no ajuste das conexões cerebrais, para que as sinapses sejam mais precisas e organizadas, auxiliando em respostas mais adequadas”.

Então, papais e mamães, estejam atentos e procurem ajuda sempre que acharem necessário.

Como ressalta Bárbara, “é importante um tratamento a tempo! Não digo precoce, porque esse termo remete a algo que vem antes do momento certo, e o momento certo é assim que percebemos alguma dificuldade da criança em realizar atos psicomotores esperados para sua faixa etária, caso essa dificuldade acarrete algum déficit em suas funções ocupacionais.

Quanto mais jovem o cérebro menos conexões sólidas ele tem, por isso, quanto mais cedo oferecemos intervenções adequadas, com mais precisão conseguimos respostas eficazes”

Qual o assunto você quer saber mais? Escreva para: carolina.canalinfantil@gmail.com

O Canal Infantil sempre busca ouvir um profissional para trazer para você muita informação de qualidade!

Compartilhe nossas matérias e siga o Canal Infantil nas redes sociais Instagram (@canalinfantil) e (@canalinfantiloficial).

Источник: http://canalinfantil.com.br/lateralidade-cruzada/

Embarazo saludable
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: