Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

Contents
  1. Como será a sua gravidez no segundo trimestre
  2. Exercícios:
  3. Vitaminas:
  4. Visita ao dentista:
  5. Sono:
  6. Viagem:
  7. Exercícios para o assoalho pélvico:
  8. Inchaço:
  9. Sexo:
  10. Cuide–se:
  11. Manchas:
  12. Hidratação:
  13. Barriga dura na gravidez: é normal? O que pode ser?
  14. Estresse
  15. Problemas de digestão
  16. Outras causas da barriga dura na gravidez
  17. Barriga dura na gravidez: quando devo ir ao hospital?
  18. Como é tratada a barriga dura na gravidez?
  19. ¿Barriga dura en el embarazo es señal de contracción?
  20. Durante el 1º trimestre
  21. 1. Estiramiento de los músculos del abdomen
  22. 2. Estreñimiento
  23. 3. Aborto espontáneo
  24. Durante el 2º trimestre
  25. 1. Inflamación del ligamento redondo
  26. 2. Contracciones de Braxton Hicks
  27. Durante el 3º trimestre
  28. Cuándo acudir al obstetra
  29. Como saber se estou em trabalho de parto?
  30. Saiba como se preparar para o parto!
  31. Contrações de Braxton Hicks
  32. Como vou perceber se entrei em trabalho de parto?
  33. Como saber se são contrações de Braxton Hicks ou de trabalho de parto?
  34. Contrações de Braxton Hicks:
  35. Contrações de trabalho de parto:
  36. Assista aos outros vídeos desse maravilhoso curso!
  37. Como fica a barriga de gestante? Tire suas dúvidas agora!
  38. Como fica a barriga de gestante mês a mês?
  39. Meses 1, 2 e 3
  40. Meses 4 e 5
  41. Meses 6 e 7
  42. Meses 8 e 9
  43. A barriga de gestante é dura ou mole?
  44. Qual é a melhor posição para dormir?
  45. Por que a barriga de gestante coça?
  46. O que é a linha escura que aparece na barriga?
  47. Por que o umbigo “sai para fora”?
  48. Quando a barriga volta ao normal?
  49. Quando é preciso se preocupar?
  50. Dá para não saber que está grávida? Leia relatos e o que dizem os médicos
  51. Um susto
  52. O que acontece com o corpo durante uma gestação?
  53. Então como é possível esperar um filho e não saber?
  54. Processo de negação pode acontecer

Como será a sua gravidez no segundo trimestre

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

A partir do terceiro mês, a sua barriguinha começa a despontar e já não tem mais como esconder que há um bebê a caminho.

Você deve estar dando “graças a Deus” que aquela fase crítica dos enjoos, da azia e da alta frequência da urina ficou para trás! O apetite volta com força total? Fique atenta com os quilinhos a mais e lembre-se que aquela história de que grávida come por dois é exagero.

No segundo trimestre, o ganho de peso é bem maior que no primeiro, pois o bebê também cresce bastante. O normal é que a gestante aumente de cinco a sete quilos neste período, mas, como cada gravidez é uma, o acompanhamento profissional é indispensável.

Sua relação com a gravidez vai ficar ainda mais intensa nessa fase, que costuma ser mais prazerosa que o primeiro trimestre. Geralmente, é nesta etapa que futura mamãe vai descobrir o sexo do bebê e receber os primeiros e tão esperados “chutes”.

É hora de pensar em nomes e também definir questões práticas, como o enxoval, o quartinho do bebê e, é claro, as suas novas roupas de grávida. Não precisa comprar muitas. A tradicional calça com elástico na barriga é um coringa e te deixará bem confortável.

Escolha peças básicas e versáteis para serem combinadas entre si e com o que você já tem no seu guarda-roupa. Sem contar que você pode acabar herdando roupas de amigas e parentes que já engravidaram.

Entre os aspectos negativos que podem surgir neste período estão a insônia e a prisão de ventre, que acontece porque os órgãos da mãe ficam comprimidos com o aumento do útero. Você também pode sentir a barriga ficando dura de vez em quando.

São contrações (veja aqui os diferentes tipos de contrações) e é normal que elas aconteçam. No entanto, se elas forem muito frequentes, doloridas e vierem acompanhadas de sangramento, procure seu médico.

Aliás, qualquer sangramento deve sempre ser comunicado.

Se a sua vida está passando por grandes mudanças, o que dizer da vida de seu pequeno. No fim do sexto mês de gravidez, o feto tem cerca de 30 centímetros e pesa por volta de 800 gramas.

Converse bastante com seu bebê, pois ele já pode ouvir você. Nesse período, ele já fará pequenas movimentações, como chupar o dedo, segurar o pé e fechar a mão.

As pálpebras começam a se abrir, e, ao fim do segundo trimestre, o seu filho tem por volta de 1 quilo e 24 centímetros.

Veja algumas dicas para segundo trimestre, mês a mês:

Exercícios:

Tudo correndo bem, é provável que seu médico te libere para fazer exercícios como hidroginástica, caminhadas, yoga, entre outros.

Vitaminas:

Nos três primeiros meses da gravidez, os médicos costumam receitar apenas o ácido fólico, mas a partir do segundo trimestre, quando o enjoo melhora, normalmente eles orientam que a grávida tome um suplemento vitamínico específico para quem está esperando bebê ou amamentando. Converse com o seu médico.

Visita ao dentista:

As grávidas podem apresentar sangramentos na gengiva. Por isso é importante fazer uma revisão e uma limpeza nos dentes. Estudos já mostraram que doenças na gengiva podem prejudicar a gestação e até causar parto prematuro. Sempre avise o dentista sobre a gravidez.

Sono:

Este é um bom momento para se acostumar a dormir de lado, de preferência sobre o lado esquerdo, porque essa posição favorece a circulação do sangue para a placenta e pode reduzir o inchaço. Para que a posição fique mais confortável, experimente colocar um travesseiro extra no meio das pernas. 

Viagem:

O segundo trimestre da gravidez é uma ótima fase para viajar. Aproveite que o mal-estar do começo da gestação já melhorou e viaje com seu parceiro! Nessa fase, a maioria das mulheres se sente com mais energia. No final do sexto mês, perto das 30 semanas, você vai começar a se cansar fácil e a se sentir desconfortável.

Exercícios para o assoalho pélvico:

Este é um bom momento para estimular o assoalho pélvico. Experimente os exercícios de Kegel, que são feitos ao se repetir várias vezes o movimento muscular que você faria se estivesse fazendo xixi e precisasse parar no meio. Podem ser feitos em qualquer lugar, a qualquer hora, e não cansam. Eles são ótimos para a hora do parto, prevenção de escapes de urina e vida sexual. 

Inchaço:

A drenagem linfática é incrível para evitar os inchaços. Converse com o seu médico sobre essa possibilidade. É normal que os dedos inchem conforme a gravidez avança.

Para evitar que sua aliança fique entalada, o melhor é retirá-la agora e guarda-la numa caixinha de joias ou pendurá-la ao cordão.

Se ela já ficou presa, o ideal é tentar tirá-la de noite, pois de manhã as mãos amanhecem inchadas.

Sexo:

Mais acostumada com a ideia da gestação e com as mudanças no corpo, a grávida sente-se plena e bonita e o apetite sexual pode voltar com tudo. Aproveite.

Cuide–se:

Com 20 semanas, você chega à metade da gravidez, um ótimo motivo para celebrar. Programe uma ida ao salão, um passeio com as amigas ou aproveite para comprar uma blusa nova que mostre bem a sua barriga. Saiba que manter o bem-estar faz bem não só para você, mas para o bebê também.

Manchas:

Apareceu uma linha vertical escura na sua barriga? Nada de pânico, é o que os médicos chamam de linha nigra: uma linha escura, vertical, que começa perto do púbis e pode alcançar a boca do estômago.

Ela está ligada à sensibilidade da grávida a um hormônio relacionado à pigmentação e à distensão abdominal. O escurecimento de partes do corpo como auréola dos seios e virilha, além do aparecimento de manchas é comum na gravidez.

Não esqueça de usar o filtro solar, principalmente no rosto!

Hidratação:

Pode bater aquela preguiça de praticar o ritual de passar hidratante ou óleo na barriga para evitar estrias. Mas não vacile, pois é nesta fase que a pele vai começar a esticar mais e mais. Esta prática também evita que a pele fique seca e coçando, além de ser um momento gostoso, só seu.

Источник: https://www.infanti.com.br/blog/como-sera-a-sua-gravidez-no-segundo-trimestre

Barriga dura na gravidez: é normal? O que pode ser?

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

Ter a barriga dura na gravidez pode ser normal e pode acontecer várias vezes ao dia. Se isso é incomum ou mesmo perigoso, depende muito da sua atual semana de gravidez.

A mulher apresentar a barriga dura na gravidez pode ter uma variedade de causas. Muitas delas podem ser facilmente remediadas ou evitadas desde o início. Neste artigo, você aprenderá tudo sobre as causas dessa condição e quando deve consultar um médico por segurança.

A barriga dura na gravidez pode ser desconfortável para muitas gestantes pois dificulta a mobilidade e cria uma forte sensação de tensão e pressão. Muitas vezes, isso ocorre durante à noite, quando o bebê fica mais ativo e treina sua respiração com soluços.

Barriga de grávida – Foto: Freepik

A partir da semana 28, no último trimestre, a barriga dura é completamente normal durante a gravidez. Essas são as chamadas de contrações contrações de treinamento. Elas também são conhecidas pelo nome médico de contrações de Braxton-Hicks. O objetivo das contrações de treinamento é preparar o corpo para o nascimento do bebê.

Estresse

Durante a gravidez, seu corpo e mente estão sujeitos a inúmeras alterações. Além disso, estão as crescentes demandas da vida cotidiana, tanto na vida profissional quanto na privada.

Um alto nível de estresse durante a gravidez pode levar a barriga a fica dura, causando desconforto na parte inferior do abdômen. Então, se você sente isso, seu corpo está sinalizando para fazer uma pausa e relaxar.

Grávida tomando chá – Foto: Freepik

Além do estresse psicológico, o estresse físico excessivo também pode ser a causa da barriga dura na gravidez. Carregar cestas de compras pesadas ou filhos pequenos pode exceder rapidamente o limite de estresse durante a gravidez. Peça ao seu parceiro, amigos ou familiares para ajudá-la nas atividades físicas.

Problemas de digestão

Como o útero em crescimento desloca o intestino e outros órgãos digestivos cada vez mais durante a gravidez, os problemas digestivos são muito comuns. Por dentro, eles garantem que o útero seja estimulado a se contrair. Assim, uma dieta rica em fibras e uma quantidade suficiente de água (até dois litros por dia) é a melhor prevenção.

Outras causas da barriga dura na gravidez

Grávida – Foto: Freepik

Muitos bebês muito ativos deixam a barriga dura. assim, tocar violentamente na parede do útero pode fazê-la endurecer. Mas estímulos mecânicos na barriga também podem causar o endurecimento da barriga. Muitas gestantes acariciam ou esfregam a barriga para entrar em contato com o bebê. De fato, o útero é muito sensível.

Outras possíveis causas são:

  • Deficiência de magnésio
  • Ingestão de pouca água
  • Surtos de crescimento para bebê e mãe
  • Contrações de exercício ou contrações de Braxton-Hicks
  • Esfregar a barriga por fora
  • Roupas muito apertadas
  • Bebê ativo

Barriga dura na gravidez: quando devo ir ao hospital?

Essa condição geralmente é normal. No entanto, alguns sinais de alerta devem ser atendidos, o que torna necessário um esclarecimento médico imediato.

Se você observar secreção de muco ou sangramento leve associado à dores, isso pode ser um sinal de que o nascimento está começando e que é uma contração real.

Como é tratada a barriga dura na gravidez?

Barriga dura na gravidez – Foto: Freepik

Na maioria dos casos, as contrações que levam a isso são um fenômeno completamente normal. No entanto, muitas mães se preocupam com o bem-estar do bebê.

Nem todas as causas que levam a essa condição podem ser eliminadas. As gestantes devem beber água o suficiente, porque a ingestão insuficiente de líquidos é um fator de estresse essencial para o corpo. Mas também é recomendável não usar roupas apertadas no estômago para não incentivá-lo a contrair.

Mesmo que seja difícil, a barriga não deve ser esfregada com frequência, porque isso também pode deixar a barriga dura.

Muitos médicos recomendam magnésio se você tiver com a barriga dura. No entanto, você não deve decidir isso sozinha durante a gravidez, mas sempre com autorização do seu médico ou parteira, mesmo que os medicamentos estejam disponíveis gratuitamente em farmácias.

Para fornecer ao corpo magnésio suficiente, você também pode comer alimentos que contenham grande parte do mineral, como:

  • Bananas
  • Ervilhas
  • Feijões
  • Brócolis
  • Sementes de girassol
  • Sementes de abóbora
  • Castanha de caju
  • Aveia
  • Pão integral
  • Farinha integral

A barriga dura pode aparecer em diferentes estágios da gravidez e geralmente não é motivo de preocupação. Mas se sentir dor, consulte um médico!

Источник: https://www.mildicasdemae.com.br/2020/07/barriga-dura-na-gravidez.html

¿Barriga dura en el embarazo es señal de contracción?

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

La sensación de barriga dura es una condición relativamente común durante el embarazo, pero puede tener diversas causas dependiendo del trimestre en que se encuentra la mujer y de otros síntomas que puedan surgir.

Las causas más comunes pueden incluir desde un simple estiramiento de los músculos abdominales, común al inicio de la gestación, hasta contracciones del parto o un posible aborto, por ejemplo.

De esta forma, lo ideal es que siempre que la mujer sienta algún tipo de alteración en su cuerpo o durante la gestación, consulte a un ginecólogo u obstetra, para informarse sobre si lo que está experimentando es normal o pueden indicar algún riesgo para el embarazo.

Dentro de las causas comunes que pueden llevar al surgimiento de barriga dura durante cada trimestre, incluyen:

Durante el 1º trimestre

El primer trimestre del embarazo se compone de la 1ª a la 13ª semana de gestación, y durante este tiempo las causas más comunes pueden ser:

1. Estiramiento de los músculos del abdomen

Con el crecimiento del útero y el desarrollo del bebé, la barriga puede comenzar a sentirse dura al inicio del embarazo, principalmente por el estiramiento excesivo de los músculos del abdomen.

Esto generalmente sucede alrededor de las 7 u 8 semanas de gestación y, en esta fase es normal que la mujer note que la parte inferior del abdomen, comúnmente conocida como vientre, se hinche y pongas más dura que antes del embarazo. 

Qué hacer: debido a que es una respuesta normal del cuerpo, no hay ningún tratamiento específico. Sin embargo, en caso de que la sensación produzca muchas molestias se recomienda consultar al ginecólogo u obstetra.

2. Estreñimiento

El estreñimiento es otro problema común durante todo el embarazo, especialmente en las primeras semanas de gestación, ya que las rápidas alteraciones hormonales de este período hacen que el tránsito intestinal sea más lento, facilitando la formación de gases haciendo la barriga más dura e hinchada

Además, algunas mujeres necesitan de suplementos con hierro durante el embarazo, lo cual puede hacer que las heces se endurezcan.

Qué hacer: para disminuir el malestar que produce el estreñimiento es importante la ingesta abundante de agua durante el día, además de llevar una alimentación rica en fibras, es decir, consumir alimentos como verduras, frutas con cáscara y cereales, por ejemplo. 

3. Aborto espontáneo

La barriga dura durante el primer trimestre puede ser un signo de aborto, que es más común antes de las 12 semanas. En esta situación, además de que la barriga esté más dura de normal, la mujer puede presentar otros signos y síntomas como fuerte dolor en la zona lumbar y sangrado vaginal con restos, por ejemplo. Conozca más sobre las causas de un aborto espontáneo.

Qué hacer: siempre que haya sospecha de aborto es importante acudir al hospital para realizar un ultrasonido abdominal y corroborar que el bebé y la placenta se encuentran bien.

Durante el 2º trimestre

En el 2º trimestre, que se produce entre las semanas 14 y 27 de gestación, las causas más comunes de barriga dura son:

1. Inflamación del ligamento redondo

Con el desarrollo del embarazo, es normal que los músculos y ligamentos del abdomen continúen estirándose haciendo que la barriga se endurezca cada vez más. Por ello, muchas mujeres pueden presentar también una inflamación del ligamento redondo, que resulta en dolor constante en la parte inferior de la barriga, el cual puede diseminarse hasta la ingle. 

Qué hacer: para aliviar la inflamación del ligamento se recomienda descansar y evitar permanecer en la misma posición durante mucho tiempo. Una posición que parecer aliviar bastante el dolor producido por el ligamento es recostarse de lado con una almohada debajo de la barriga y otra entre las piernas. 

2. Contracciones de Braxton Hicks

Este tipo de contracciones suele surgir después de las 20 semanas de embarazo y ayudan a los músculos a prepararse para el trabajo de parto. Cuando surgen, las contracciones hacen que la barriga se endurezca y, generalmente, duran alrededor de 2 minutos.

Qué hacer: las contracciones de Braxton Hicks son completamente normales, por lo que no es necesario realizar algún tratamiento. Sin embargo, en caso de que produzcan malestar, se recomienda consultar al obstetra. 

Durante el 3º trimestre

El tercer trimestre representa los últimos tres meses del embarazo. En este período, además de que las contracciones son comunes, así como la inflamación del ligamento redondo y el estreñimiento, existe otras causa importante de barriga dura, que son las contracciones del parto. 

Generalmente, las contracciones del parto son semejantes a las contracciones de Braxton Hicks, pero que tienden a hacerse más intensas y frecuentes. Además, en caso de que la mujer esté entrando en trabajo de parto, también es común que haya rotura de membranas. 

Qué hacer: en caso de sospecha de trabajo de parto es importante acudir al hospital para evaluar el ritmo de las contracciones y la dilatación del cuello uterino, con el objetivo de confirmar si realmente el bebé está a punto de nacer. 

Cuándo acudir al obstetra

Se aconseja acudir al médico si la mujer presenta:

En todo caso, cuando la mujer desconfía de que algo no está bien, debe contactar a su obstetra para aclarar dudas y, en caso de que no pueda comunicarse con él, debe acudir al servicio de urgencias.

Источник: https://www.tuasaude.com/es/barriga-dura-en-el-embarazo/

Como saber se estou em trabalho de parto?

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

Mas afinal, o que é o trabalhodeparto e quais são os sinais que demonstram que você está entrando nesse processo? Primeiramente, é importante dizer que durante toda a gravidez o objetivo do seu corpo é manter o bebê dentro do útero, até que ele esteja preparado para viver no ambiente externo.

Diante disso, na maioria das gestantes, o útero está em um estado de repouso, sem muitas contrações. O colo do útero, nesse período, está fechado, para manter o bebê dentro do útero.

Saiba como se preparar para o parto!

Mas ao final da gravidez, começam a aparecer as contrações. Entretanto, isso não é necessariamente um sinal de trabalho de parto.

Contrações de Braxton Hicks

Próximo ao final da gravidez, a partir de 33 e 34 semanas, os músculos do seu útero deixam a sua barriga dura, por em média 30 a 60 segundos, e depois ela relaxa.

Essas contrações costumam ser indolores e são chamadas de Braxton-Hicks ou contrações detreinamento.

Os especialistas as definem como um treinamento do corpo para o trabalho departo.

No final da gravidez, essas contrações vão ficando mais frequentes, como se seu útero quisesse se aquecer para viver o trabalho intenso do parto. Elas também podem vir acompanhadas de uma sensação de desconforto e cólicas.

A partir desse momento, você já consegue perceber as contrações. Interferindo, algumas vezes, nas atividades rotineiras, devido à dor. Isso é um sinal de que o seu corpo está se preparando para o evento do parto.

Como vou perceber se entrei em trabalho de parto?

Você vai perceber que, entre 36 e 38 semanas, as contrações ficarão mais intensas e frequentes, podendo até gerar um incômodo maior. Essa intensidade de dor também varia de mulher para mulher, sendo que algumas podem sentir mais dor do que outras.

Enquanto essas contrações apresentarem um padrão irregular, vindo em intervalos de 30, 20, 15 minutos ou até uma hora, elas são contrações de preparo. Elas somente serão consideradas contrações de trabalho de parto quando adquirirem um padrão de regularidade, aparecendo em uma frequência de pelo menos 5 em 5 minutos.

Em geral, quando você estiver em trabalho de parto, a intensidade das contrações também irá aumentar. Portanto, elas virão acompanhadas por cólicas mais intensas, incomodando mais e impedindo que você faça as suas atividades naturalmente.

Isso é um aviso de que você está entrando em trabalho de parto. O objetivo dessas contrações acompanhadas das dores e desse desconforto é fazer com que você preste atenção no seu corpo e no que está acontecendo com ele. E, a partir disso, comece a se preparar para viver essa experiência.

Outro sinal que pode acontecer, tanto na fase preparatória como no trabalho de parto, é a perda do famoso tampão mucoso. Ele é uma secreção que se parece com uma gelatina ou geléia.

As vezes, vem acompanhado de raios de sangue ou totalmente sanguinolento. Quando você perde essas secreções significa que as contrações já estão fazendo algum efeito sobre o colo do útero.

Quando inicia essa fase de preparo ou, propriamente, de trabalho de parto, o colo do útero vai começar a sofrer alterações para possibilitar a abertura e saída do bebê. Essa etapa pode acontecer duas ou três semanas antes do trabalho de parto começar.

A primeira fase do trabalho de parto efetivamente é a dilatação e apagamento do colo do útero. Nessa etapa, ele não só se abre, como também se encurta. Ele possui duas partes, uma que dá ligada ao útero e outra à area externa. No trabalho de parto, esses orifícios se encontram.

Essa primeira fase, pode acontecer de uma forma latente ou ativa. A latente é quando a sua dilatação é menor que três a quatro centímetros. Nesse caso, o processo é muito inicial, em que as mudanças no colodo útero são lentas e se começa a ter um afinamento e uma dilatação.

Já a fase ativa do trabalho de parto é quando você atingiu ao menos três ou quatro centímetros de dilatação.

Assim, com contraçõesfrequentes e regulares, as quais aumentam constantemente a sua intensidade.

De modo que a dilatação do colo do útero aconteça em pelo menos um centímetro a cada hora. Portanto, a dilatação ocorre de maneira mais rápida.

Como saber se são contrações de Braxton Hicks ou de trabalho de parto?

O ritmo das contrações é um dos principais fatores para diferenciar o trabalho de parto das contrações de Braxton-Hicks.

Contrações de Braxton Hicks:

  • São irregulares, sem contrações em períodos contínuos;
  • Não aumentam a intensidade;
  • Normalmente, não atrapalham as atividades, parando quando você começa a fazer outra coisa;
  • Normalmente, duram menos que um minuto;
  • Podem atingir apenas uma região da barriga;
  • Pequena duração, a barriga fica dura e relaxa.

Contrações de trabalho de parto:

  • Possuem padrão regular, com uma frequência de pelo menos 5 em 5 minutos;
  • São compridas, a barriga fica dura por mais tempo;
  • São mais doloridas, cólicas mais intensas;
  • Não é possível fazer as atividades naturalmente;
  • São mais intensas, com longa duração;
  • Não melhoram se você mudar de atividade;
  • Atingem a barriga como um todo e não somente uma região.

Assista aos outros vídeos desse maravilhoso curso!

Em qual semana de gestação você está? Já sentiu alguma contração? Confira o que é o Parto Normal e quais são os tipos de partos possíveis para você ter o seu bebê.

Источник: https://eunenem.com/blog/como-saber-se-estou-em-trabalho-de-parto/

Como fica a barriga de gestante? Tire suas dúvidas agora!

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

O período da gravidez é responsável por inúmeras mudanças no corpo da futura mamãe. Os seios incham, os mamilos ficam mais escuros, o aumento hormonal pode ocasionar enjoos e a vontade de fazer xixi vem a cada 20 minutos. Mas certamente a alteração mais visível e, para muitas, a mais esperada é o crescimento da barriga de gestante.

No entanto, é justamente sobre isso que grande parte das mulheres tem dúvidas, especialmente se estiver esperando o primeiro filho. O que é normal ou não? Quando ela vai começar a aparecer? Por que coça? Vai voltar a ser como era antes? Pensando nisso, fizemos um post para responder às dúvidas mais comuns sobre o barrigão! Acompanhe!

Como fica a barriga de gestante mês a mês?

Para começar, é importante que você entenda que cada mulher possui um biotipo diferente. Por isso, o tempo para a barriga começar a crescer pode variar bastante — cada gravidez é única, assim como tudo na maternidade. Então, você não deve se preocupar se não estiver dentro do padrão abaixo, tudo bem?

Meses 1, 2 e 3

Durante o primeiro e o segundo mês, a mulher não consegue notar diferença alguma em sua barriga. As mudanças se iniciam por volta do terceiro mês, quando ela começa a endurecer. O crescimento, no entanto, ainda é pouco notável, até porque o embrião tem o tamanho de um grãozinho de feijão nessa fase.

Meses 4 e 5

É durante o quarto mês que a barriga começa a apontar, mas pode passar despercebida em alguns casos. Ao chegar na marca do quinto, ela ganha um formato mais arredondado no baixo ventre. Aqui, já começa a ficar mais difícil caber nas roupas usuais e seu jeans favorito provavelmente não fechará mais na cintura.

Meses 6 e 7

São nesses meses que a barriga irá crescer de verdade — e mais rápido do que você imagina! É nessa fase que o bebê começa a ganhar peso mais significativamente. A sensação será de que você engordou dezenas de quilos em uma noite. Mas não se assuste: ela vai crescer ainda mais!

Meses 8 e 9

No oitavo mês, além de crescer mais, você também poderá sentir algumas contrações de treinamento. Por fim, no nono e último, além de sentir dores na lombar, púbis e bacia, a barriga já estará tão grande que atividades corriqueiras, como colocar um par de sapatos, serão verdadeiras batalhas!

A barriga de gestante é dura ou mole?

Normalmente, a barriga de gestante é dura. É por volta da sétima semana de gestação que as mulheres começam a notar essa mudança. Antes disso, é normal que ela ainda seja mole — afinal, o bebê ainda é muito pequeno. Depois do segundo mês, ela vai ficando endurecida pois é preenchida com o útero cada vez maior.

Na maioria dos casos, a sensação de barriga dura permanece por toda a gestação, mas se você notar partes moles, não se assuste: é normal! O bebê se mexe muito e, mesmo quando ainda é muito pequeno, ele tende a se acomodar conforme a posição dos órgãos da mãe, seu crescimento e estímulos externos.

Portanto, quando sua barriga fica menos firme de um dos lados ou na parte de cima, provavelmente seu filho só está experimentando uma posição inusitada para dormir. No entanto, se ficou mole após uma queda ou impacto, é importante procurar um pronto-socorro imediatamente para saber se o bebê está bem.

Qual é a melhor posição para dormir?

O bebê fica muito protegido dentro do útero, por isso, você não precisa ficar com receio de deitar em determinada posição, nem mesmo de bruços. O que acontece é que, com a barriga de gestante cada vez maior, achar um jeito confortável de descansar ficará difícil. Nas últimas semanas, você provavelmente vai dormir sentada e rodeada de travesseiros.

Embora não seja obrigatório, os médicos recomendam que as futuras mamães deitem viradas para o lado esquerdo. Essa posição favorece a circulação sanguínea e, dessa forma, o bebê recebe mais oxigênio pelo cordão umbilical. Mas não se preocupe se acordar ao contrário, não há risco nenhum para o seu filho.

Por que a barriga de gestante coça?

A coceira que muitas gestantes sentem é por causa do estiramento da pele, natural pelo aumento da barriga. Ao contrário do que diz a sabedoria popular, coçar não causa estrias — a sensação já é um indicativo de que a estria estava se formando a partir de pequenos rompimentos na derme.

No entanto, não é porque a barriga está coçando que a gestante terá estria.

Uma forma de tentar evitar as temidas estrias — tentar, uma vez que há uma tendência hereditária envolvida — é usar óleos ou cremes hidratantes, além de evitar o ganho excessivo de peso. A pele hidratada tem mais elasticidade.

Por isso, ela consegue esticar com menos chances de rompimento na camada inferior. Pergunte ao seu dermatologista indicação de cremes apropriados para esta fase. Nem todos são seguros ou eficazes. 

O que é a linha escura que aparece na barriga?

Durante a gravidez, há um aumento muito grande nos níveis de estrogênio. Esse hormônio é o responsável pelo escurecimento dos mamilos, já que é um melanócito estimulante. Da mesma forma, algumas mulheres — e isso depende sobretudo da tendência hereditária — apresentam a famosa “línea nigra” na barriga de gestante.

Ela é uma linha marrom escura que parte da região pubiana até o alto do abdômen, passando pelo umbigo. Normalmente, começa a aparecer no segundo trimestre da gravidez e é comum na maioria das mulheres. A línea nigra não tem nenhuma relação com a saúde do bebê ou da mamãe, é só um excesso de melanina.

Por que o umbigo “sai para fora”?

O crescimento do útero pressiona a musculatura interna do abdômen e isso faz com que o umbigo seja “empurrado”. Em quase todas as gestantes ele fica mais exposto, principalmente nos últimos meses, mas não necessariamente vai “sair para fora”. Isso depende de como era antes da gestação.

Se você tem o umbigo mais fundo, por exemplo, dificilmente vai passar por isso. Mas se já era um pouco mais raso, talvez você o veja saltar até o fim dos nove meses. Se isso acontecer, não se preocupe: é comum e tende a voltar ao normal após o nascimento do bebê.

Quando a barriga volta ao normal?

Essa é a maior dúvida das mamães, que ficam tão ansiosas para ver a barriga de gestante crescer quanto para que volte ao normal depois do parto. O prazo, no entanto, é muito variável: depende de quanto peso a mulher ganhou, se praticava exercícios físicos, se o parto foi normal ou por cesárea etc.

No entanto, o ideal é não esperar que a barriga fique “chapada” antes de, pelo menos, seis meses. Além de perder os quilinhos extras, é preciso ter paciência para que a pele, os músculos e o útero voltem ao tamanho e posição originais. Já a línea negra costuma desaparecer dentro de até um ano depois do parto.

Quando é preciso se preocupar?

A barriga da gestante dá importantes sinais sobre a saúde do bebê, que a partir da metade da gestação costuma se mexer bastante. Se houver alteração no ritmo dos movimentos, o ideal é ir ao médico para ver se está tudo bem, principalmente na reta final e se não houver sinais por mais de duas horas.

Por fim, lembre-se de que cada gestação é única e que cada um tem um biotipo diferente. Por isso, a barriga de gestante pode variar muito de uma mulher para outra. Então, nada de se preocupar se você não perceber nenhuma diferença no tamanho da sua logo no começo da gravidez.

Gostou do post? Que ótimo! Para ficar por dentro de outros conteúdos relacionados a gravidez e cuidados com o bebê, curta a nossa página no !

Источник: https://blog.mammybelt.com.br/barriga-de-gestante-tire-duvidas/

Dá para não saber que está grávida? Leia relatos e o que dizem os médicos

Estou grávida e a barriga está dura, por quê?

Para muitas mulheres, descobrir uma gravidez é sinônimo de alegria e da realização de um sonho. Embora não seja comum, algumas alegam não ter os sintomas típicos de uma gestação e só descobrem que estavam grávidas prestes a dar à luz.

É o caso da capixaba Jackeline Boldt Bastos, 33. Era maio de 2018 quando tudo aconteceu. Na época, Jackeline era solteira e trabalhava como balconista em uma loja de doces, em Cariacica (ES). Ela conta que levava uma vida normal e nem suspeitava de uma possível gestação, embora sentisse muita dor nas costas.

Imagem: Arquivo pessoal

Com o passar dos meses, a dor não cessou, por isso ela decidiu ir até um hospital e o médico constatou que as dores eram causadas por gases. «Tomava o remédio de gases e não sentia nada. E minha barriga não cresceu, mas sempre fui gordinha e muito desligada», comenta.

Além disso, ela também não teve a maioria dos sintomas comuns de uma gestação e ainda conseguiu emagrecer. «Quando ele nasceu, estava fazendo dieta».

No Dia das Mães, Jackeline estava em um churrasco na casa da avó. «Bebi e quando cheguei em casa comecei a passar mal. Liguei para um amigo e pedi para ele me levar ao hospital. Quando cheguei lá, na madrugada de domingo para segunda, o médico disse que era começo de infecção urinária, me deu dipirona, buscopam na veia e mandou eu ir embora e buscar o exame na segunda de manhã», recorda.

Na manhã seguinte, quando foi buscar o resultado, o médico confirmou que se tratava de uma infecção urinária, e ela foi novamente medicada, já que as dores não haviam cessado com os medicamentos da noite anterior.

Já na terça de manhã, as dores persistiram e ela foi para outro hospital. Ao chegar, o médico disse que a infecção estava muito forte e a colocou no soro. Em dado momento, ela precisou ir ao banheiro e, quando voltou, o ginecologista já estava na sala sugerindo que ela fizesse um teste de gravidez.

A princípio, ela se recusou, alegando que havia menstruado normalmente nos últimos meses, mas depois acabou concordando. «O resultado saiu às 14h e o médico disse: 'vai para a maternidade que você está ganhando neném'.

Fiquei em estado de choque e fui para o Hospital São João Batista. Para o anestesista conseguir me dar a injeção, uma assistente social ficou ao meu lado porque eu não conseguia parar de chorar.

Ganhei neném às 15h08 do mesmo dia», relata.

Apesar das circunstâncias, o bebê nasceu bem por uma cesárea. «Ele nasceu saudável, grandão, com 2,8 kg e 46 cm», recorda. Assim que viu o filho pela primeira vez, Jackeline conta que foi tomada por um sentimento imediato de rejeição.

«Na hora em que a médica veio chegando perto de mim, falei: 'não chega com esse menino perto de mim que vou jogá-lo longe, só fui vê-lo quando estava no quarto». Por fim, passado o susto inicial, hoje ela não se imagina sem o filho. «Rejeitei-o no começo, mas agora ele é a minha vida», afirma.

Um susto

Imagem: Arquivo pessoal

Situação semelhante viveu Lindinalva Dias Silva Rufino, 46, dona de casa. Questionada sobre quando teria engravidado, ela diz que foi em maio do ano passado, porque o filho nasceu em fevereiro, com nove meses completos.

Lindinalva é casada há 18 anos e sempre tentou engravidar. Um dos ginecologistas que a atendia chegou a afirmar que ela não tinha nenhum problema e sugeriu que o marido procurasse ajuda. Contudo, ele não seguiu o conselho, embora o casal sempre tenha desejado um filho.

Ela conta que não teve sintomas durante a gestação, exceto um. «A menstruação já tinha um tempinho que não estava descendo, e também estava sentindo um calorão, suando muito e bebendo bastante água. Mas como eu era um pouco irregular e nunca vinha no mês certo, achei que estivesse entrando na menopausa e já ia fazer consulta médica», diz.

Ela conta que a barriga também não aumentou, mas quando faltava uma semana para o bebê nascer, o marido chegou a comentar que a barriga havia crescido, de repente. Mas como eles são casados há muitos anos e ela nunca engravidou, a suspeita de uma possível gestação foi ignorada.

Uma semana depois, o cenário mudou. «Acordei e fui levar meus sobrinhos na escola. Quando fui subir no ônibus, levei um tropeção no degrau e senti uma pontada no pé da barriga. Achei que era a minha menstruação que desceria», descreve.

No entanto, a dor persistiu o dia inteiro. Ela conta que ainda lavou roupa e fez todos os afazeres de casa normalmente, mas sempre acompanhada de uma forte cólica. «À noite, fui ao banheiro, sentei no vaso e não parava de descer aquela água meio verde. Daí chamei meu marido e falei: 'a minha bolsa estourou'». Nessa hora ela descobriu que estava grávida.

Ainda sem acreditar no que estava acontecendo, ligou para a mãe e a irmã. Foi tudo muito rápido: «Meu marido olhou para mim e viu o líquido descendo nas minhas pernas.

Fiquei sentada, minha pressão começou a subir e fiquei fora de mim», lembra. Em seguida, ela e a família seguiram para o Hospital da Unicamp, em Campinas (SP).

Ao chegar, os médicos ainda fizeram um exame de urina para confirmar a gravidez.

«Daí foram verificar os batimentos, mas estavam demorando para encontrar. Falei que sentia uma coisinha na minha costela que doía bastante, então eles colocaram o aparelho perto da costela e conseguiram ouvir os batimentos dele», conta.

Lindinalva ficou um tempo em observação devido a pressão alta e na manhã do dia seguinte o bebê nasceu por uma cesárea. Apesar do susto, ela diz estar muito feliz, pois depois de muitos anos o filho tão sonhado chegou. «Foi de repente. Uma surpresa muito grande para mim e para o meu marido. Agora, ele é tudo na minha vida», finaliza a mãe.

O que acontece com o corpo durante uma gestação?

Imagem: iStock

Durante uma gravidez, o corpo da mulher passa por inúmeras transformações físicas e emocionais. A pausa na menstruação é a mais comum, porém há casos em que as mulheres continuam menstruando, mas são exceções.

Assim que a mulher engravida, ela começa a acumular líquidos chamados de embebição gravídica, que geram inchaços. A partir do terceiro mês é possível observar o crescimento da barriga. No entanto, quem tem a musculatura abdominal mais forte, consegue sustentar o útero dentro do abdome, por isso a barriga não fica tão aparente.

Mulheres com problemas de sobrepeso também não costumam evidenciar a barriga. O tamanho da barriga e o ganho de peso, em geral, também são definidos pela alimentação.

Os seios também podem ser um forte sinal de que há um bebê a caminho. A partir da sexta semana, o aumento de volume é notável e muitas vezes a mulher começa a sentir dores ou incômodos. A cor da aréola e dos mamilos também pode escurecer.

É importante ressaltar que durante a gestação, a vulva e a vagina tendem a ficar com uma coloração mais roxa e inchadas. Há, ainda, um aumento da descamação da vagina, com mais secreção (corrimento branco, fluido e sem odor).

Há também as alterações emocionais que podem ocorrer durante a gestação. Elas são responsáveis por sintomas como sonolência, dificuldade de concentração, memória e mais irritabilidade.

A gestação também altera a frequência cardíaca, a circulação sanguínea, a pressão arterial, a imunidade e os hormônios. Além disso, há mudanças no sistema urinário, respiratório, articular e no trato gastrointestinal, este último sendo o responsável pela maioria dos famosos enjoos. Ainda é possível notar mudanças na pele, que pode ficar mais oleosa e até nos cabelos.

Então como é possível esperar um filho e não saber?

Imagem: iStock

Os especialistas ouvidos por VivaBem divergem.

De acordo com Giuliane Jesus Lajos, ginecologista e obstetra do Caism (Centro de Assistência Integral à Saúde da Mulher ) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e docente da divisão de obstetrícia do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, é possível a mulher não saber que estava grávida.

«É muito difícil, mas não impossível. Já testemunhei pelo menos umas seis vezes nestes meus 21 anos de ginecologia e obstetrícia. É muito mais comum em mulheres com obesidade, pela dificuldade de percepção do próprio corpo. E o atraso menstrual pode ser comum para elas», explica.

«Já testemunhei caso de a gestante ser magra, com um filho prévio, ou seja, já tinha vivenciado gestação anterior e chegou parindo, relatando surpresa com o fato. E parecia real.

Também vivenciei umas três situações em que a gestante procurou o pronto-socorro geral, não o ginecológico, com queixas de dores abdominais, sendo tratada como um abdome agudo a esclarecer, e na verdade era uma gestação e trabalho de parto. A gente chega a pensar que a gestante sabia e estava escondendo a gestação, mas não.

Testemunhei um caso em que o sonho do casal era ter um filho, e descobriram apenas quando rompeu a bolsa e procuraram o hospital, com 38 semanas de gestação. Então, sim, é possível», afirma a obstetra.

Silvana Maria Quintana, docente do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto) também acredita na possibilidade de ocorrer uma gestação silenciosa.

Segundo a especialista, não dá para afirmar que a mulher sabia da gestação e estava mentindo. Ela explica que essa possibilidade até existe, mas há casos em que muitas mulheres dão à luz em casa e sozinhas —sem nenhum tipo de cuidado médico.

«Essa mulher, de alguma forma, negou evidências pelas quais o corpo passou por todo esse período. Por algum motivo ou problema, ela não se permitiu perceber essas mudanças do corpo e se preparar para a grande mudança que vai acontecer com a chegada de uma criança», avalia.

«Acho que é uma negação ou falta de atenção com o próprio organismo, mas não acho, de jeito nenhum, que elas estejam mentindo. É raro, mas é possível», completa. Silvana ainda afirma que mulheres que passam por essa situação precisam de cuidados, principalmente psicológicos, já que do dia para a noite se tornam mães, o que é uma mudança radical na vida de qualquer pessoa.

Por outro lado, há quem diga que é impossível uma gestação perdurar por cerca de 40 semanas sem que a mulher perceba. Segundo os especialistas, os sintomas de uma gestação são muito evidentes, e não há como serem confundidos.

«Existe um volume interino, uma história condizente com atraso menstrual e, a partir do quinto mês, você tem o bebê se mexendo dentro na barriga.

Então é impossível, na minha concepção, que uma pessoa não perceba o bebê se movimentando dentro dela.

No sétimo e oitavo mês, o bebê já tem força muscular suficiente para, inclusive, alterar o formato do abdome», alega Alexandre Pupo, ginecologista e obstetra do Hospital Sírio Libanês e do Hospital Albert Einstein (SP).

«Não acho possível, principalmente pela movimentação do neném, de dois quilos ou até três mexendo na barriga. Não tem como não perceber», opina Marina Nunes Machado, coordenadora do Departamento de Obstetrícia de Alto Risco do Hospital do Rocio (PR).

No entanto, ela acredita que mulheres obesas podem, sim, ter uma maior dificuldade de reconhecer uma gestação, mas ressalta que os sintomas são inconfundíveis e cita também o processo de negação gestacional, que, para ela, significa apenas negar o fato.

«O que eu já vi é a pessoa esconder, mas não, não saber. A partir do quarto mês não tem como não perceber uma gestação em andamento. São tantos sinais. Acho que ela tem que se ignorar muito, se negligenciar, para não perceber», finaliza Machado.

Processo de negação pode acontecer

Quem também afirma ser possível uma gestação silenciosa é Rafaela de Almeida Schiavo, especialista em psicologia perinatal, pós-doutora em psicologia do desenvolvimento e aprendizagem pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), fundadora do Instituto MaterOnline e membro da Sociedade Brasileira de Psicologia.

«Existem, sim, mulheres que engravidam e passam a gestação inteira sem saber. É claro que podem existir aquelas que propositalmente escondem a gestação até o final, mas uma boa parte das mulheres realmente não sabia. É perfeitamente possível», afirma.

De acordo com a psicologia, esse é um processo chamado de negação. Isso ocorre quando a mulher tem os sintomas gestacionais, mas não consegue associá-los a realidade.

«Mas tem alguns indicativos aí, por exemplo, são mulheres que não conseguem reparar muito bem no seu corpo, algumas alegam que continuaram menstruando normalmente, muitas também estão com sobrepeso.

E muitas vezes ela atribui o movimento do feto a gases, a uma indisposição intestinal, exatamente por não saberem que estão grávidas», diz Schiavo.

Para a psicóloga, cada mulher tem um motivo para a negação. Entretanto, não é possível generalizar. Logo, cada caso precisa ser avaliado individualmente.

«O inconsciente é tudo aquilo que não temos acesso, a gente não sabe que existe, nem o que é», descreve. «Do ponto de vista psicológico, elas não estão mentindo.

E isso ainda pode trazer vários prejuízos para essa mulher e até para essa criança, já que ela pode apresentar uma depressão pós-parto, alta ansiedade, um transtorno, justamente porque ela está levando a vida dela normalmente e, de repente, se torna mãe sem saber», explica a psicóloga. «Essas mulheres precisam ser compreendidas e não discriminadas».

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/11/11/da-para-nao-saber-que-esta-gravida-leia-relatos-e-o-que-dizem-os-medicos.htm

Embarazo saludable
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: