Meu filho não cresce!

Meu filho não cresce!

Meu filho não cresce!

Uma das principais preocupações dos pais é garantir o bom crescimento e desenvolvimento do seu filho. A altura final de uma pessoa depende, principalmente, da sua herança genética, mas alguns problemas ambientais ou hormonais podem causar que uma criança a cresça menos do que o esperado pela sua idade e condições.

Índice

Fatores de crescimento

O desenvolvimento é um processo contínuo que começa com a fecundação e termina com a idade adulta. Tem duas facetas, de crescimento (aumento de peso e altura) e de maturação.

É geneticamente programado: no óvulo fecundado já estão configurados todos os mecanismos que levam ao indivíduo a uma altura de adultos em particular em um determinado momento (puberdade avançada, normal ou retardada).

Muitas vezes os pais estão preocupados com o tamanho do seu filho sem motivo.

E deve-se ter em mente que, se há na família uma «baixa estatura constitucional» ou «genéticas» os filhos vão presentar valores de altura abaixo dos desvios-padrão abaixo da média para a idade e sexo, mas não por isso sua taxa de crescimento é anormal, mas a criança é suas próprias curvas.

Além disso, nem todos os irmãos devem ter o mesmo tamanho ou taxa de crescimento, cada um tem a sua própria história genética; como se pode ter um com os olhos azuis e outro com eles marrons, um pode ser mais baixo do que o outro.

O pediatra é quem vai decidir se tem problemas de crescimento ou não.

A frase «atraso do crescimento» ou a palavra «desmedro», embora conceitos excessivamente restritivos descrevem aos bebês e crianças que não ganham peso, altura ou ambos adequadamente.

Ou seja, descrever a discrepância entre aumento de peso e altura observados para idade e sexo. Esta é uma razão muito comum para consultar um pediatra e gera muita ansiedade na familia.

No processo de crescimento estão envolvidos vários fatores e praticamente todos os órgãos e sistemas, pelo que a avaliação do crescimento infantil é um indicador de sua saúde e bem-estar.

Além hereditariedade, depende de uma série de factores: um fornecimento adequado de nutrientes, a integridade de todos os sistemas para estes nutrientes para as células, o bom funcionamento destas células (regulado por uma série de hormonas) e ambiente psicoafectivo (privação emocional prolongada pode afetar o bom crescimento, agindo sobre o sistema nervoso do indivíduo).

O ritmo de crescimento das crinças

A partir de 4anos até a puberdade, as crianças têm de crescer cerca de 5-6 cm / ano. No entanto, tenha em mente que o crescimento de uma criança não é constante e pode variar dependendo de doenças ocasionais que causam fenômenos de retardo seguidos de processos de recuperação.

Para confirmar se a criança tem dificuldade de crescer ou não, o médico irá realizar uma série de avaliações de peso, altura, circunferência da cabeça e taxa de crescimento, usando tabelas e percentis apropriados para a sua idade.

Além disso, realizara uma série de exames: sangue, urina geral e cultivos, de fezes e parasitas e radiografia do pulso para estabelecer a idade óssea.

Como faço para solucionar isso?

Com todos ostestes acima o médico terá dados suficientes para determinar se a causa é orgânica, caso em que ele vai encaminhar a criança ao especialista apropriado, ou se o contrário não é orgânico.

Se o problema for na sua alimentação, será dada a 50% de calorias acima de suas necessidades básicas e também um suplemento vitamínico mineral.

Há que mudar maus hábitos alimentares e melhorar mãe-filho emocional Alimentação: Evite líquidos uma hora antes das refeições; não forçá-lo a comer; Não mostrar raiva ou nervosismo na frente da criança; Evite a televisão e outras distrações durante a refeição; não ceder à chantagem com a comida.

Além disso,uma criança deve praticar exercícios aeróbicos (natação, futebol, basquete, etc). Por outro lado, o sono é um regulador de energia, por isso, se você mantê-lo de forma contínua e profundamente irá permitir de forma mais eficaz redistribuir a energia para o processo de crescimento. Para uma criança crescer bem, você deve dormir pelo menos 8 a 10 horas.

Outra questão é se o problema da criança está na hormona do crescimento (GH). Esta hormona é produzida pela glândula pituitária, endócrino na base do cérebro que regula a maior parte dos processos hormonais do corpo.

Deficiência de HC aparece quando não é produzida pela glândula pituitária, ou quando, apesar de ocorrer adequadamente, há outras alterações do corpo que não está autorizado a atuar.

Durante a infância, embora haja muitas causas conhecidas que produzem, como algumas doenças em que falta o gene que produz a hormona do crescimento, na maioria dos casos a causa do deficit na produção de HC é desconhecida.

Se deficit aparece, a criança para de crescer e seu tamanho e taxa de crescimento estão bem abaixo ao que corresponde à sua idade, sexo e tamanho da família. Além disso, aumenta a quantidade de gordura corporal e os ossos não se formam adequadamente e pode levar ao aparecimento precoce da osteoporose.

Um dos mais importantes avanços médicos feitos pela ciência nas últimas décadas é o tratamento de reposição da hormona do crescimento.

Isso tem sido usado com sucesso em crianças com deficiência dessa hormona, e aqueles que não tem falta, mas estão em um percentual muito baixo ou abaixo do mínimo da curva de crescimento correspondente à sua idade e sexo.

O uso da hormona de crescimento, com a vantagem de aumentar a altura, é indicado para crianças, adolescentes e adultos que apresentam deficit na produção dessa hormona.

Osteoporose

Definição:

Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fracturas perante traumatismos mínimos ou inclusivo na ausência deles. Este problema produz-se sobretudo em mulheres, amenorreícas ou posmenopaúsicas devido à diminuição do número de estrogénios e outras carências hormonais.

Sintomas:

Fragilidade dos ossos que pode dar lugar a contínuas fracturas. Os sintomas que se apresentam na doença avançada são: Dor ou sensibilidade óssea. Fracturas dos pulsos ou da bacia (usualmente é o primeiro indício). Perda de estatura com o tempo. Lombalgias devido a fracturas dos ossos da coluna. Dor cervical devido a fracturas dos ossos da coluna. Postura encurvada.

Tratamento:

Existem alguns tratamentos diferentes para a osteoporose, incluindo uma diversidade de fármacos. Para além disso, realizar exercício adequado e seguir uma dieta que tenha uma quantidade adequada de cálcio, vitamina D e proteína ajudam a que a doença não evolua.

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica.

Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso.

Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

Источник: https://www.todopapas.com.pt/criancas/desenvolvimento-infantil/meu-filho-nao-cresce-6210

Crescimento lento (em crianças): tratamentos e causas

Meu filho não cresce!

O crescimento lento ocorre quando a criança cresce menos do que o esperado. Existe um padrão de crescimento (peso/ altura / IMC) que é avaliado pelo seu pediatra em um gráfico e acompanhamento em todos as consultas.

Existe um padrão de crescimento comum para as crianças que foi medido por algumas instituições internacionais e serve como parâmetro para os pediatras, que medem o peso, altura e IMC da criança a cada consulta.

As crianças com alteração em seu crescimento, como o crescimento lento, devem ser investigadas do ponto de vista clínico, para que seja avaliada o quanto desta diferença é normal ou não.

Os sintomas que acompanham o crescimento lento variam muito dependendo da intensidade da alteração. Alterações evidentes encontradas, por exemplo, nas mal formações cromossômicas, endócrinas ou ósseas, são diagnosticadas logo no início.

Quando se fala em discreta diminuição de crescimento em relação à população em geral, só é possível fazer este diagnóstico nos acompanhamentos mensais, quando se formará um “desenho de curva de estatura” decrescendo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

Em geral, doenças podem ser a causa do crescimento lento em crianças. Entre elas, podemos listar:

  • Anemia
  • Infecções
  • Alterações cardiológicas
  • Alergias, principalmente as alimentares.

Além disso, fatores como a genética, alimentação e outras condições de estilo de vida podem ser a causa para o crescimento lento em crianças.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores de risco

A velocidade de crescimento é definida por diferentes fatores, que podemos dividir em dois tipos:

Durante a gestação a herança genética traz caracteres fixos como cor dos olhos, coloração da pele e também características em relação a adoecimentos familiares (atopias, cardiopatias, obesidade, neoplasias). Dentro de um grupo familiar as pessoas adoecem da mesma forma. Em uma família de asmáticos, temos maior probabilidade de crianças asmáticas, e assim com as outras doenças de herança genética.

Além disso, na gestação é importante ter cuidados da mãe com relação a repouso, exercícios adequados, alimentação. Importante principalmente não consumir álcool e ter pouca ingestão de gordura trans. Esses são fatores controláveis.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas alguns fatores intrauterinos estão fora do controle da mãe, como os seguintes:

  • Síndromes cromossômicas que comprometem o feto
  • Alterações endócrinas: como nanismo hipofisário (deficiência de produção de Hormônio do Crescimento pela hipófise) e síndrome de Turner em meninas (defeito do cromossoma sexual)
  • Síndromes congênitas, por exemplo a acondroplasia, que impede o crescimento dos ossos em comprimento, conhecido como anões.

Nesses casos, a criança não consegue desenvolver seu potencial, levando a baixa estatura final.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

São aqueles que ocorrem após o nascimento, e podem englobar:

  • Condição de parto como anóxia neonatal, prematuridade em que a criança tem um atraso no desenvolvimento, mas atinge valores normais para idade mais para frente
  • Problemas na amamentação
  • Alimentação adequada na primeira infância
  • Ausência de exercícios físicos
  • Ambiente sem privações
  • Doenças crônicas
  • Medicações, como a cortisona
  • Infecções de repetição.

Todos eles podem interferir no crescimento final da criança.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Buscando ajuda médica

Como o crescimento lento só será detectado quando a criança vai periodicamente ao pediatra, é importante que os pais respeitem esse ciclo, para diagnosticar não só o crescimento lento, mas qualquer outro problema de saúde da criança.

As famílias brasileiras, pela vida corrida, trabalho dos pais, acabam recorrendo muito ao Pronto Atendimento e por isso acabam perdendo os acompanhamentos de rotina de seus filhos.

A periodicidade recomendada para as consultas é:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Mensal até os 12 meses
  • Depois aos 15 e 18 meses
  • Entre dois e quatro anos, duas consultas ao ano.

Esta é a rotina para que se consiga detectar de forma precoce, não só crescimento lento, mas outras alterações evitáveis com diagnóstico precoce.

Os pais não devem levar em conta, como forma de perceber o problema, a comparação da altura do seu filho quando as outras crianças, pois elas têm origens diferentes. Nem mesmo a comparação entre irmãos é válida, por diversos fatores.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico de Crescimento lento (em crianças)

Para acompanhar não só o crescimento da criança, mas também do peso da criança, existem tabelas de peso e de estatura. Até 2006 a tabela utilizada era do CDC (Center for Disease Control), uma curva americana.

Mas a criança americana tem maior peso que a brasileira até os dois anos, por diferentes fatores.

Em 2006 uma organização com sede em Genebra, Who Child, elaborou uma tabela em que foram utilizados dados coletados de cinco cidades em cinco continentes (excetuando-se os orientais), inclusive no Brasil, elaborando uma tabela com valores mais amplos e mais adaptados a nossa realidade.

Esse acompanhamento é feito nas consultas de rotina com o pediatra: no primeiro ano de vida essas consultas são mensais, depois aos 15 e 18 meses. E entre dois e quatro anos, são duas consultas ao ano. Desta forma, coletam-se um número de medidas que geram uma curva de acompanhamento. Com o acompanhamento a cada mês, consegue-se detectar alterações do crescimento, para mais ou para menos.

Tratamento de Crescimento lento (em crianças)

O tratamento para o crescimento lento em crianças será de acordo com a causa do problema. Por exemplo, alterações de origem genética ou hereditárias devem ser tratadas pelo especialista.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

Dra Isis Dulce Pezzuol, pediatra e homeopata (CRM-SP 39.546)

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/crescimento-lento-em-criancas

Embarazo saludable
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: