Mudanças nas mulheres no segundo mês de gravidez

Sintomas de gravidez: quais sinais que o corpo dá diante uma gestação?

Mudanças nas mulheres no segundo mês de gravidez

O corpo de uma mulher muda muito e apresenta diversos sintomas quando ela fica grávida, de cansaço e enjoos até ausência da menstruação podem ser indicativos fortes de sintomas de gravidez.

Os sintomas da gravidez são iguais para todas as mulheres?

Algumas mulheres são mais sensíveis às mudanças hormonais ou possuem condições que favorecem a exacerbação de determinados sintomas de gravidez e, por essa razão, uma gravidez pode ser difícil de ser percebida e só são confirmadas com um teste de gravidez.

Depois de ter a gestação confirmada, é muito importante que durante as consultas de pré-natal, todos os sintomas devem ser mencionados aos profissionais de saúde para que sejam avaliados, medicados, se necessário, ou para que se analise a necessidade de acompanhamento especializado ou de encaminhamento ao serviço de pré-natal de alto risco.

Sintomas de gravidez comuns

Normalmente, os primeiros sintomas de gravidez aparecem quando o óvulo se instala na parede do útero, apenas alguns dias depois de a relação sexual ter acontecido. No entanto, muitas mulheres só percebem que estão grávidas a partir do atraso da menstruação, mesmo com a presença de outros sintomas. Tais como:

Atraso menstrual

O atraso menstrual é um dos sintomas mais famosos e mais corretos em relação a uma gestação. Ele ocorre pois o sangue da menstruação nada mais é do uma camada que o útero produz para acomodar melhor o embrião, e que é eliminada quando a gestação não ocorre. Ou seja, se a menstruação não desceu, o mais provável e que o sangue esteja sendo usado para sua finalidade original.

Sendo assim, pode-se dizer que os primeiros sintomas de gravidez aparecem a partir do segundo dia de atraso da menstruação. 

Mamas maiores e sensíveis

Outro sintoma bem acentuado são as mudanças nos seios, que podem aparecer entre a quarta e a sexta semana de gravidez.

Isso ocorre porque o processo da gestação faz com que elas comecem a se desenvolver para que a mulher possa produzir leite na amamentação, havendo um aumento das glândulas e da vascularização.

Algumas mulheres ficam com tanta sensibilidade na região que os seios doem até nos movimentos, como encostar o balançar.

Enjoos

O enjoo é o sintoma mais clássico de gestantes, principalmente no primeiro trimestre, mas é claro que o tempo de aparecimento dos primeiros sintomas e a intensidade varia de mulher para mulher, apesar de ser raro não apresentá-lo.

Aréolas mais escuras

Com tanta atividade e mudanças nas mamas, acaba havendo um aumento da vascularização da região, o que inclusive justifica tanta sensibilidade nesses órgãos.

Com isso as aréolas dos seios tendem a ficar mais escuras do que antes. Em alguns casos, esse sintoma pode aparecer a partir da segunda semana.

Além disso, podem se desenvolver pequenas protuberâncias nas aréolas, que costumam assustar as mães de primeira viagem. 

Pequeno sangramento

Muitas mulheres relatam um pequeno sangramento no começo da gestação, normalmente atribuído ao momento em que o embrião se implanta na parede do útero, já que a fecundação ocorre nas trompas, mais próxima ao ovário.

Os especialistas se dividem quanto a ocorrência desse sangramento. Muitos acreditam que ele pode não acontecer, enquanto outros afirmam que sim, é até comum encontrar mulheres que afirmam ter “menstruado” no começo da gestação.

Em alguns casos, pode acontecer de esse sintoma se manifestar entre seis a 12 dias após a relação sexual.

Maior frequência urinária

O aumento da frequência urinária também é um dos sintomas de gravidez, principalmente a partir do segundo mês de gestação. Isto ocorre, pois conforme o útero cresce, se reposiciona no corpo, e vai comprimindo a bexiga.

É comum a grávida acordar a noite com muita vontade de urinar, mas ter pouco líquido. A frequência urinária vai aumentando ao longo da gestação, com o crescimento do útero e do feto, e é muito mais discreta no comecinho.

De acordo com o especialista, a bexiga se adapta a essa mudança inicial e depois, com o encaixe do bebê próximo à época do parto, a urgência de urinar volta.

Aumento abdominal

Obviamente a barriga só fica realmente visível da metade para o final da gravidez, no entanto, desde o comecinho as mulheres mais atentas podem notar um pequeno aumento no abdômen, como se ela estivesse engordando um pouco e esse pode ser um dos primeiros sintomas, que pode aparecer a partir da quinta semana de gestação.

Prisão de ventre

O intestino é totalmente afetado pela gestação: a progesterona reduz o trânsito intestinal, ou seja, o bolo alimentar demora bem mais tempo para fazer todo seu caminho até ser excretado como as fezes. Ou seja, defecar se torna algo muito mais demorado desde o começo, o que inclusive aumenta o inchaço abdominal. Esse sintoma costuma aparecer ao longo do primeiro trimestre.

Gases e cólicas pouco intensas

É comum que a gestante tenha pequenas cólicas intestinais, além das pequenas cólicas comuns do útero. Porém, é importante se manter atendo, se as cólicas são intensas e duram tempos muito longos pode significar algum problema na gestação.

Aversão a cheiros fortes

Não se sabe ao certo por que, mas as mulheres costumam a ter alterações no paladar e olfato durante a gestação. 

Instabilidade emocional

Gestantes costumam ser sensíveis e um aumento na facilidade em chorar pode ser também um sintoma.

Além disso, é importante lembrar que uma gestação é um turbilhão de novas emoções, principalmente para quem está esperando o primeiro filho.

Dúvidas sobre a saúde do bebê, como será o parto e se ela conseguirá amamentar, tudo isso passa pela cabeça dela, além da insegurança de começar uma experiência nova.

Desejos estranhos

Junto com as alterações no olfato, um dos primeiros e mais “típicos” sintomas de gravidez pode ser o aparecimento de desejos alimentares tanto por coisas comuns quanto por itens não comestíveis, como terra, tijolos, plástico, etc.

Esse transtorno alimentar se chama “pica” e tem fundo mais emocional e é comum no primeiro trimestre da gravidez. Não há relação com problemas alimentares, como anemia por exemplo, como muita gente acredita.

Normalmente, quando a gestante apresenta esses sintomas, é importante investigar se ela não está com algum problema familiar.

Aumento da libido

Algumas gestantes relatam ter aumento da libido sexual. No primeiro trimestre a produção hormonal ainda ocorre no ovário, e como ele é superestimulado, pode acabar produzindo testosterona em excesso também, hormônio ligado ao desejo sexual. 

Maior salivação

A gestante tem uma produção aumentada de todas as secreções do corpo, incluindo saliva. O que pode acontecer com relativa frequência é a gestante produzir saliva demais.Portanto, esse pode ser um dos sintomas de gravidez inicial.

Sangramento na gengiva

Esse sintoma, na verdade, pode se acentuar no período gestacional.

Provavelmente a gestante já teria uma predisposição a ter gengivite antes de engravidar E quando a gestação acontece, essa condição se acentua e acarreta a gengivite.

A gravidez faz com que a produção hormônios como progesterona e estrógeno aumente. Essa mudança hormonal causa aumento do fluxo sanguíneo e faz com que a região da gengiva fique mais sensível.

Ronco

As oscilações hormonais causam alterações nas cordas vocais e também fazem com que as membranas nasais inchem, ocasionando assim o ronco. Esse sintoma não é comum no começo da gestação, mas pode ocorrer.

Inchaço da vulva

As modificações hormonais fazem com que o fluxo sanguíneo aumente na região vaginal. Essa dinâmica também faz com que haja maior circulação na região da vulva, fazendo com que ela apresente inchaços.

Aumento da transpiração

Quando uma mulher engravida é como se ela estivesse em uma menopausa fisiológica. Logo, o aumento do fluxo sanguíneo ocasionado pelos hormônios faz com que os vasos sanguíneos se dilatem e aumentem a temperatura corporal. Isso faz com que a gestante sinta mais calor e consequentemente transpire mais. Logo esse também pode ser um sintoma de uma gestação.

Coceira

O aumento da transpiração pode facilitar o surgimento de dermatites e erupções na pele, caracterizando-se também como um sintoma. As mudanças na pele tendem a se intensificar com a evolução da gravidez, por isso é importante mantê-la hidratada e protegida durante todo o período.

Flatulência

Com o aumento da progesterona há um aumento na contração dos músculos lisos, responsáveis pelos movimentos do trato digestório. Isso diminui a velocidade com que os gases são eliminados fazendo com que eles fiquem concentrados no intestino – resultando assim na fermentação de certos alimentos pelas bactérias.

Источник: https://blog.vitta.com.br/2020/10/28/sintomas-de-gravidez-quais-sinais-que-o-corpo-da-diante-uma-gestacao/

Tudo sobre o segundo trimestre da gravidez: cuidados, exames e mudanças no corpo – Pais&Filhos

Mudanças nas mulheres no segundo mês de gravidez
No segundo trimestre da gestação, a ideia da gravidez torna-se mais concreta e interessante (Foto: Getty Images)

Depois do desafiador primeiro trimestre, chega a melhor parte da gravidez.

Afinal, é a partir daí que você pode, finalmente, contar a outras pessoas que está grávida. Neste período também você começa a ser mais paparicada, se sentir quase uma celebridade, e poderá sentir seu bebê mexer.

A ideia da gravidez torna-se mais concreta e interessante.

É no segundo trimestre também que é possível descobrir o sexo do bebê e sentir ainda mais a ideia de estar esperando um filho.

Neste ponto, é provável que você se encontre com um sorriso de orelha a orelha, se pegue rindo alto em uma reunião chata de trabalho e o que muitas mulheres sentem é um aumento de libido, graças a maior quantidade de sangue fluindo pelo corpo.

Emoções à flor da pele

Quando se está grávida, qualquer coisa faz chorar. Desde um pedaço de queijo até uma propaganda de fraldas. É uma emoção atrás da outra, e você acha que ninguém em volta te entende. Sabe quando você está no auge da emoção? Parece que algum ser está invadindo o seu cérebro (além daquele que cresce na barriga). Mas, calma.

Não é que você esteja louca, ou sendo controlada por alienígenas. A mudança de humor é normal durante a gravidez. É durante esse período que acontecem mudanças nos níveis hormonais, além das mudanças físicas e emocionais.

Então, não estranhe: enquanto sua barriga cresce, é normal que você chore, dê risada e esqueça o próprio nome – às vezes, tudo isso em poucos minutos.

Os desejos malucos

Chupar limão, comer quilos e quilos de doces e até comer tijolo. São desejos que muitas grávidas têm e ninguém – muito menos os futuros pais – entendem o porquê.

Essas vontades não são simples caprichos, mas sim uma resposta do organismo da mulher às necessidades do corpo dela e do bebê que vai nascer. Totalmente normal.

Não há nada comprovado em relação a esse fenômeno, mas o que os médicos percebem é que as vontades estão intimamente ligadas aos diferentes períodos da gravidez.

No segundo trimestre da gravidez, quando os enjoos já não aparecem tanto, o corpo da mulher precisa de mais energia para formar o bebê.

É daí que vem o desejo de comer alimentos calóricos, como doces, massas, gorduras e carboidratos em geral.

Já nas últimas semanas de gestação, o útero está bastante distendido e chega a comprimir o estômago, o que faz com que a grávida não consiga comer muito, mesmo que sinta fome normalmente.

Episódios extremos, como vontade de ingerir coisas não comestíveis, como tijolo ou terra, não são considerados normais, e podem ser observados em mulheres que não têm uma alimentação adequada e saudável. Esses desejos indicam uma deficiência intensa de algum nutriente. Hoje, é difícil ver ocorrências desse tipo em grandes cidades, onde o acesso à alimentação é maior.

Em alguns casos, esse tipo de desejo também pode ser fruto de um distúrbio psiquiátrico, o que pode acontecer com qualquer mulher, grávida ou não.

É por isso que, no caso das gestantes, é muito importante que o ginecologista questione no exame pré-natal se há antecedentes psiquiátricos no histórico da paciente. A gravidez, por ser um período em que a mulher fica muito suscetível ao emocional, pode desencadear uma doença desse tipo.

Sentir vontade de comer coisas engraçadas tem um limite, e é essencial ficar atenta aos sintomas como depressão e bipolaridade, ok?

O muda no corpo?

Agora, as mudanças no corpo da gestante são consideráveis, como aumento de peso, mudança no formato do rosto e até um possível inchaço na face. Os cuidados são para evitar trabalho de parto prematuro e ruptura da membrana amniótica, mantendo o repouso quando indicado pelo obstetra.

Com o corpo, é preciso manter uma alimentação saudável, rica em vitaminas, com frutas e legumes, e ingerir bastante água.

Se você for para praia no final do ano, não se esqueça de usar chapéu, bloqueador solar, ficar longe do sol entre às 10 e 16 horas e estar sempre protegida pelo do guarda-sol. As viagens de avião estão garantidas até a 32ª semana de gestação.

A mudança na cor do cabelo também é liberada, dando preferência aos tonalizantes, luzes ou reflexos.

Hora das compras!

Agora que você já passou pelo primeiro trimestre e já garantiu cremes, óleos, algumas roupas que você amou e comprou na empolgação, é a hora de começar a pensar mais alto. No segundo trimestre as peças já podem ser oficialmente compradas, os produtos de higiene e também a cadeirinha, que é megaimportante. Mas vamos falar de cada mês individualmente, para você fazer tudo com calma:

No quarto mês:

Agora você já sabe quantos bebês virão e, se quiser, também o sexo.

Concentre-se no quarto: berço, colchão, protetor de colchão e lençóis de baixo! O pediatra da maternidade Pro Matre Paulista, André Dutra, filho de Maria Lúcia e Francisco, adverte contra cobertas superiores e travesseiros: ambos devem ser evitados pelo risco de sufocamento, segundo ele. “Além disso, o travesseiro pode elevar demais a cabeça do bebê e dificultar sua respiração.” Ou seja, desapegue dos conjuntos de cama e foque num lindo móbile com música como arremate perfeito para a hora de dormir do seu filho. E, enfim, podem ser comprados os primeiros looks do bebê: bodies, calças culotes, camisetas, meias e casaquinhos. Para você também! Garanta que você tenha vestidos soltos, batas, leggings e jeans de grávida para os próximos meses.

No quinto mês:

Que tal tirar parte deste mês para se dedicar à higiene do bebê? Comece pela banheira ou balde, conforme sua preferência. Inclua no cartão de crédito: cueiros, fraldas de pano, toalhas, kit higiene (potes de algodão, garrafa térmica, etc.

), kit manicure (ou só uma tesourinha!) e um aspirador nasal. É nessa fase que o peso da barriga começa a fazer diferença. Com isso, você também vai notar o inchaço das pernas e pés, o que pode incomodar muito nas atividades do dia a dia.

Para ajudar a resolver o problema, cremes e meias elásticas podem ser seus melhores amigos, inclusive se você quiser continuar borboleteando pelas lojas para escolher cada detalhe dos novos produtos.

Esse também é o momento de começar a adotar as calcinhas mais confortáveis – mês que vem, a barriga vai dar um salto no tamanho, então é bom estar preparada!

No sexto mês:

Hora de planejar os passeios. Com muita calma, escolha o carrinho que vai levar seu filho por aí.

Ele deve ser fácil de montar e desmontar – imagine-se sozinha colocando-o no porta-malas! Outra dica preciosa: modelos com rodas grandes são mais resistentes a pavimentos irregulares. Do mesmo departamento, vem a cadeirinha do carro.

Como seu filho vai usá-la até por volta dos 7 anos, aposte naquelas que se adaptam às várias fases do crescimento. Para encerrar o ciclo das compras de passeio, não se esqueça do canguru ou do sling para andar com o bebê bem grudado em você.

Os acessórios do carrinho (colchão, lençóis, brinquedos) e um tapa-sol de carro podem também ser adquiridos nesta fase. E, claro, aquela bolsa que servirá para carregar todos os itens do bebê no primeiro ano que tenha a sua cara, afinal é você quem vai usar.

Exames em dia

A partir da 16ª semana:

– Amniocentese: é a coleta de líquido amniótico por meio de agulha guiada por ultrassom para avaliação do cariótipo ou infecções fetais. Também pode ser utilizado para confirmação diagnóstica no caso de NIPT alterado.

Entre a 18ª e a 24ª semana:

– Morfológico do segundo trimestre: detecta as deficiências estruturais e marcadores de cromossomopatias no feto, que consegue diagnosticar 85% das malformações fetais. O exame serve para avaliar detalhes da formação do cérebro, coração, tórax, órgãos abdominais, membros, genitália, coluna, pés e mãos.

– Doppler colorido das artérias uterinas: faz o rastreio das pacientes de maior risco para desenvolvimento de pré-eclâmpsia ou de fetos muito pequenos no decorrer da gestação.

– Avaliação do colo uterino via transvaginal: é a época mais indicada para rastreamento de risco do parto prematuro, por meio da medida do colo uterino. Se diagnosticado um colo curto, as formas de prevenção precisam ser imediatamente implantadas.

A partir da 20ª semana:

– Ecocardiograma fetal: faz o diagnóstico precoce de malformação cardíaca que pode ser essencial para um planejamento do parto e acompanhamento da equipe de cardiologia pediátrica.

Entre a 26ª e a 30ª semana:

– Obstétrico 3D/4D: são geradas imagens do feto em três ou quatro dimensões e em tempo real. É a maneira mais real de conhecer o rostinho do bebê!

Leia também:

Tudo sobre o primeiro trimestre da gravidez: cuidados, exames e mudanças no corpo

Pode ou não pode? 7 mitos sobre o que não é permitido fazer na gravidez

O que você deve evitar e fazer em cada trimestre da gestação

Источник: https://paisefilhos.uol.com.br/gravidez/tudo-sobre-o-segundo-trimestre-da-gravidez-cuidados-exames-e-mudancas-no-corpo/

Embarazo saludable
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: